Eleições e clima organizacional

Essa semana fui provocado por um amigo professor do câmpus São José a escrever mais sobre o IFSC e sobre o atual modelo de gestão.

https://jesuegraciliano.wordpress.com/2017/08/18/um-novo-modelo-de-gestao/

Durante os debates que ocorreram em 2015, mostrei porque a atual gestão é burocrática e centralizadora, o que acabava desestimulando a participação, a criatividade e a autonomia dos câmpus. Para quem não vivenciou esse momento estou disponibilizando os vídeos:

 

 

Penso que à atual reitora falta humildade para receber críticas e utilizá-las positivamente para melhorar o IFSC. E falo isso com tristeza, porque a conheci em outro contexto. Ela parece outra pessoa. Desejo lhe o melhor como ser humano, mas sua forma de conduzir a instituição não faz bem para nosso clima organizacional. Diversos eventos ocorridos nos últimos anos me deixaram perplexo. Há pessoas que estão com medo de se expressarem, porque temem serem processadas eticamente e administrativamente por terem opiniões divergentes. Esse não é o IFSC que queremos. A Constituição assegura a liberdade de expressão como um direito fundamental.

Sou contra a reeleição em todos os seus níveis porque ela leva à cristalização de um mesmo grupo de pessoas no poder. A alternância é saudável e ajuda a revigorar nossas instituições. Durante as eleições apresentamos propostas viáveis para implantar um novo modelo de gestão.

Apesar da aparente derrota, cumprimos nosso papel ao apresentar uma alternativa. Nem tudo está errado, mas há questões que precisam ser corrigidas. Reconhecemos diversos avanços na gestão. Por experiência de mais de 10 anos como dirigente público sou partidário da lógica do “copo meio cheio” e por isso é importante um diálogo franco sobre os rumos institucionais.

A hora é agora. Dentro de três meses estaremos dentro de um novo ciclo eleitoral. Será mais uma oportunidade para pensarmos sobre nossos sonhos e expectativas para os próximos anos. Muitos amigos têm me incentivado a insistir na candidatura ao cargo de Reitor. Tenho lhes dito que a cada momento da vida devemos rever nossas expectativas e prioridades, sempre considerando um equilíbrio entre nossa vida privada e institucional. Cada vez mais tenho buscado o “caminho do meio” em minhas decisões.

Em 2015, entendemos ser necessário apresentar à comunidade acadêmica a proposta de um novo modelo de gestão baseado na AUTONOMIA E REGIONALIZAÇÃO. E para isso construímos uma chapa que mesclava experiência administrativa com juventude. A maioria da equipe era formada por ex-diretores. Muito daquilo que propomos foi resultado da avaliação da equipe, da minha pesquisa de doutoramento sobre desenvolvimento regional e de muita reflexão sobre as três experiências que vivenciei como reitor pro tempore em Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná. Pude compreender a instituição por outro ponto de vista. No exercício da interinidade procurei me inspirar nos reitores mais humildes, mas não menos talentosos. Entre eles cito prof. Belchior de Oliveira – ex-Reitor do IFRN.

https://jesuegraciliano.wordpress.com/2015/12/02/participacao-nas-eleicoes-do-ifsc/

Considerando a ação daqueles que parecem utilizar sem pudor a máquina pública em busca de continuísmo, fazendo propaganda antecipada, entendo ser necessária e estratégica uma aliança com aqueles que sonham com uma instituição menos burocrática, menos centralizada, mais ética, humana e acolhedora. Temos conversado muito nesse sentido. É preciso ter a grandeza para pensar no que é melhor para o IFSC, deixando de lado qualquer vaidade pessoal. Nossa proposta de gestão ainda continua sendo válida. E vamos trazê-la novamente para o debate.

Em um ambiente onde impera a ética, há mais confiança. E a confiança é fundamental para a construção de um bom clima organizacional. Por esse motivo, defendo a tese de que os gestores devem atuar como educadores e dar bons exemplos. Infelizmente, não é o que vejo.

“Você não sente nem vê
Mas eu não posso deixar de dizer, meu amigo
Que uma nova mudança em breve vai acontecer
E o que há algum tempo era jovem e novo
Hoje é antigo
E precisamos todos, todos rejuvenescer”  Belchior

Atenciosamente,

Prof. Jesué Graciliano da Silva

https://jesuegraciliano.wordpress.com/2015/10/03/como-promover-a-gestao-participativa/

https://jesuegraciliano.wordpress.com/2015/07/10/reflexoes-sobre-gestao-participativa/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s