Dicas para as futuras Direções dos câmpus

Ontem estava procurando algumas propostas das gestões anteriores (só para conferir o discurso e a prática) e me deparei com um texto produzido na forma gráfica sobre como deveria ser o exercício da Direção de um câmpus. O texto foi escrito em janeiro de 2003, um mês antes de assumirmos a Direção do câmpus São José. Cada tópico daria uma grande discussão. Considerando que vamos ter dezenas de candidatos à Direção fica a reflexão:

1- A equipe de Direção, composta pelo Diretor, Chefe do Departamento de Administração e de Ensino deve conversar muito, mesmo que as conversas sejam rápidas para conseguir entrosamento. É preciso que exista sintonia e que as divergências sejam respeitadas com diálogo.

2- Usar a técnica da “garrafa meio cheia” para abordar os problemas. O otimismo é fundamental para conseguir apoio para solução dos problemas. Ninguém gosta de uma liderança que só pensa coisas negativas.

3- Os três dirigentes devem fazer um horário de trabalho que consiga preencher todos os 15 períodos da semana (manhã, tarde e noite de segunda à sexta). É fundamental a presença física para acompanhar de perto o dia a dia da gestão. É importante estar à disposição para atender as pessoas quando elas precisam. A Direção existe para servir.

4- Melhorar o ambiente físico do Gabinete da Direção, humanizando-o para que fique mais caloroso e receptivo. As pessoas devem se sentir à vontade para conversar com o Diretor a qualquer hora. As pessoas que trabalham no gabinete devem ser ACOLHEDORAS.

5- Organizar o Jornal do câmpus com o objetivo de informar, inspirar e motivar a partir da valorização do trabalho dos servidores e dos alunos. Sem transparência não existe confiança.

6- Criar um calendário de eventos que torne o ambiente de trabalho mais leve e humano. O bom clima organizacional é importantíssimo para que as pessoas trabalhem em paz e façam o seu melhor em suas funções.

7- Procurar a convergência nas discussões. Todos possuem uma leitura particular do mundo. Juntos podemos enxergar em um maior ângulo. Nossa história de vida influencia nossa visão de mundo.

8- Criar um clima de confiança incondicional entre a equipe gestora. Defender o outro sempre que necessário. Uma equipe só é uma equipe quando o outro ajuda quando o colega erra e quando todos comemoram juntos o sucesso do colega.

9- Como não vamos salvar o planeta, e não por falta de vontade, procurar equilibrar a vida pessoal com a vida profissional. Não cobrar do colega sacrifícios que nem sempre serão emocionalmente recompensados.

10-  Definir com clareza o que se espera do outro. Ser claro para evitar frustações. Conversar sobre as expectativas de cada membro da equipe.

11- Circular pela escola nos horários de menor fluxo e de maior fluxo. Não se fechar no gabinete e no ar condicionado. Procurar mostrar presença porque palavras até convencem, mas exemplos arrastam.

12- Respeitar o jeito de ser do outro como uma qualidade e não um defeito. Se as equipes fossem compostas por pessoas iguais perderia-se toda as possibilidades decorrentes da diversidade.

13- Investir na capacitação dos servidores, principalmente dos TAEs, que têm menos oportunidades que os docentes.

14- Apostar no apoio ao trabalho do professor como estratégia para melhorar o ensino. Docentes motivados, capacitados e com ferramentas computacionais de qualidade ministram melhores aulas…

15- Criar uma estratégia para 4 anos sem pensar em reeleição. Primeiro plantar, depois regar e colher os resultados no quarto ano.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s