Discurso de posse como Diretor do câmpus São José

Caros colegas, fiz esse discurso no dia 13 de fevereiro de 2003, quanto assumi o  cargo de Diretor da Unidade São José em conjunto com as colegas Nilva Schroeder – atual Diretora da SETEC – e Silvana Ferreira Pinheiro e Silva – atual Diretora de Gestão do Conhecimento do IFSC.

Gosto de avaliar meu crescimento como gestor ao longo dos anos. Gosto de verificar o quanto forte foram e são minhas convicções. Podemos evoluir mas nunca trair quem somos. A0 final da gestão escrevemos juntos o livro:

Do discurso à ação. O objetivo foi mostrar qual a relação desse discurso de posse com nossas ações enquanto gestores.

Boa Noite a todos! Sejam bem vindos a esta Escola que, neste encontro, anuncia uma nova caminhada. Caro Professor Juarez Pontes, Diretor do Sistema CEFET/SC; Senhor Dário Berger, Prefeito de São José; Professor Jacó Anderle, Secretário Estadual da Educação e do Desporto; Professora Volnei Velleda Rodrigues; Diretores de Sistema, Diretores e Gerentes das unidades de Florianópolis e de Jaraguá do Sul; e demais autoridades presentes; queridos professores, técnicos-administrativos e alunos desta Unidade de Ensino; amigos, familiares e demais convidados, eu e as profissionais que compõem a nova equipe de direção, Nilva Schroeder e Silvana Ferreira Pinheiro e Silva, queremos aproveitar esta oportunidade para reafirmar nossos compromissos. Para fazer isso, é preciso, porém, registrar porquê nos unimos para compor uma equipe com o propósito de representar os anseios de uma Comunidade Escolar.

Esta é uma escola que ao longo de sua trajetória tem mostrado que quando nos assumimos responsáveis pela construção de nossa história, deixamos marcas que justificam nossa existência e motivam novas buscas. as e, aprendemos no dia-a-dia desta escola que quando compartilhamos objetivos, quando nos dispomos a contribuir para a concretização de desejos comuns, ficamos mais fortes e damos sentido ao nosso trabalho de servidores públicos / educadores. Por isso, aceitamos o desafio de representar esta Comunidade.

É importante, porém, ressaltar que o que esta escola é hoje, é resultado do trabalho, do comprometimento, da dedicação de servidores técnico-administrativos, professores e alunos. É preciso, entretanto, destacar que ao longo dos anos contamos, também, com a colaboração de muitas pessoas e instituições, por exemplo, órgãos públicos, empresas, organizações não governamentais, pais dos alunos.

Neste momento, queremos registrar a colaboração e agradecer a dedicação dos colegas que estiveram na Direção da Unidade nos últimos quatro anos, os professores Volnei Velleda Rodrigues e Franco Andrey de Souza e o servidor técnico-administrativo José Luiz Boratti. Sabemos que, hoje, vocês estão apenas encerrando uma etapa de sua participação na história desta escola. Temos certeza de que continuarão contribuindo para que possamos fazer um trabalho cada vez melhor e que possamos concretizar novos projetos. Nós, a partir de hoje no exercício de Direção, trabalharemos para que esta escola, responsável pela educação de jovens e adultos, reafirme a cada dia sua condição de escola pública, gratuita e de qualidade. Para que isso aconteça, sabemos que é preciso que todos os servidores estejam mobilizados para fazer desta instituição um verdadeiro espaço educativo.

Por isso, nossos principais compromissos são:

1.    Promover ações voltadas à valorização dos servidores, pois estes, tendo sua auto-estima elevada, oportunidades de formação e condições adequadas de trabalho, terão seus dias mais prazerosos e construirão formas de pensar e de interagir que favorecerão o objetivo singular da escola: realizar o processo educativo do aluno.

Outro compromisso é:

2.    Atuar no sentido de consolidar o sistema CEFET-SC, de maneira que a Unidade de São José seja conhecida e reconhecida na região, por sua atuação no Ensino Profissional e no Ensino Médio.

3.    Promover a integração com a comunidade, de modo que esta escola vá além de seus muros e efetivamente cumpra seu papel social.

4.    Realizar uma gestão pedagógica e administrativa participativa, para que cada integrante da comunidade escolar possa deixar suas marcas na história da escola e ver seus anseios alcançados.

Sabemos que são diversas as expectativas, inúmeras necessidades são emergenciais e que muitas das atuais condições desta Unidade representam obstáculos. Queremos, portanto, dizer que as soluções para os problemas serão construídas coletivamente. Teremos sempre presente que estamos autorizados a representá-los. Vamos fazer isso, respeitando a voz do coletivo, especialmente porque sabemos que a participação favorece o comprometimento com o alcance de objetivos e metas.

Nossas prioridades nos primeiros meses do mandato serão:

–          Realizar um planejamento abrangente e objetivo.

–          Desencadear o processo de construção de uma política de gestão de pessoal, com ações imediatas voltadas à análise e redimensionamento da atuação dos diversos setores e da lotação dos servidores, bem como a realização da formação continuada.

–          Buscar maior articulação junto às diretorias do Sistema, visando garantir o respeito às características e dinâmicas de cada unidade, de modo a realmente consolidarmos o sistema CEFET/SC. A Unidade de São José, em particular, vem obtendo avanços significativos na construção de sua identidade. Nossa equipe  aprimorar esta atuação de modo a fortalecer a Unidade e, assim, o Sistema CEFET.

Ao expormos nossos compromissos, é pertinente falar um pouco do contexto em que vivemos. Observamos que na década de 90, emergiram visões sustentadas na idéia de empreendedorismo. Sabemos que, na verdade, idéias de empreendedorismo, de empregabilidade, de competitividade esconderam a falência do emprego e a globalização selvagem.

Hoje, podemos reacender nossas utopias, pois a nova década tem se configurado cada vez mais como a década da cidadania e da integração do Estado com sua comunidade. O Brasil, particularmente, nutre-se de esperanças e mobiliza-se contra mazelas sociais. É necessário, porém, rever a história e reconhecer que  em outros tempos houve ações que muito nos ensinaram.

Como esquecer da campanha contra a fome e pela cidadania coordenada pelo sociólogo Betinho? Como não lembrar dos trabalhos de nosso educador Paulo Freire, voltados à superação do analfabetismo, ainda na década de 60? Hoje, temos um Governo disposto a resgatar a dignidade do povo brasileiro.

Mas, não podemos simplificar as coisas. A fome e o analfabetismo são conseqüências da injustiça social e da ausência de solidariedade. São, portanto, frutos da inconsequência das atitudes da humanidade. Então, nós, Escola, precisamos despertar e assumir definitivamente a responsabilidade de,  articulada com a comunidade, servi-la de maneira a favorecer sua organização e atender seus anseios. Isto podemos fazer, estabelecendo parcerias com os órgão públicos, empresas e organizações diversas, de modo a contribuir para  mudar a realidade social.

Ë oportuno registrar, também, que a formação do aluno não se constrói apenas no espaço da sala de aula. Lá é preciso que o trabalho pedagógico seja sistemático e comprometido com uma formação crítica e criativa. Para além da sala de aula, são necessários espaços para o exercício da cidadania. Por este motivo dedicaremos especial atenção à participação dos alunos nos fóruns coletivos, apoiaremos o Grêmio Estudantil e  investiremos em iniciativas voltadas à uma formação mais ampla, tais como teatro, esportes, educação ambiental e qualidade de vida de modo geral.

Pretendemos construir uma gestão aberta à participação de todos, sustentada no diálogo e na cooperação mútua. Estes foram os princípios aprovados através de eleição direta com votos de alunos, professores e técnico-administrativos. Nossos movimentos, no dia-a-dia serão orientados para promover a integração, entre os alunos dos diversos períodos e cursos, entre professores e técnico-administrativos, entre escola e comunidade e entre as Unidades do sistema CEFET-SC.

É importante ressaltar que vivemos um momento especial no que diz respeito aos rumos da Educação Tecnológica. Ainda ontem tivemos a oportunidade de participar do encontro do Conselho de diretores dos CEFETs e lá ouvimos a fala do novo Secretário da Educação Média e Tecnológica, Professor Antônio Ibañez Ruiz e da Diretora da Educação Profissional, Professora Ivone. Observamos que pretendem, em sua gestão, buscar a aproximação com os profissionais da educação, de modo a definir políticas que atendam às reais necessidades do país. Isso significa que se estivermos mobilizados internamente, poderemos contribuir efetivamente na construção das novas políticas. Então, iniciativas de ensino, pesquisa e extensão tais como o projeto de educação a distância financiado pela Fundação VITAE, a formação de professores junto à Equisul, atividades realizadas pelo grupo GERAC, apoiadas pela ANEEL, atividades do Grupo de Telecomunicações apoiadas pela CELESC, DIGISTAR, INTELBRÁS e CnPq, bem como, a realização de intercâmbios nacionais e internacionais, são exemplos de possibilidades diferenciadas de atuação.

Bem, até aqui falei de compromissos, de contexto e de propósitos. Falei, também, da importância da participação dos profissionais e dos alunos na história desta Unidade de Ensino. Preciso, ainda, fazer um registro indispensável, pois compartilho neste encontro da presença de pessoas muito especiais na minha história. São pessoas que sobreviveram a uma vida sofrida, enfrentando a seca do interior da Bahia. São retirantes da década de 50, que se instalaram no interior do Estado de São Paulo e passaram boa parte da vida como trabalhadores nas colheitas de café. Com muito sacrifício criaram seus 8 filhos, hoje crescidos. Eu sou o último deles. Hoje me lembro bem, quando ainda criança, meu pai, mesmo semi-alfabetizado, sabendo da importância da educação, trazia material escolar para meus irmãos. Eu ainda não estava na Escola e já não via a hora de entrar nela. Com muito sacrifício eu e meus irmãos tivemos oportunidade de estudar. Isto realmente fez a diferença. Tenho a felicidade de ser um trabalhador da educação neste CEFET. Aqui venho aprendendo muito e sinto-me feliz em saber que estamos contribuindo com a educação brasileira. Mas, agradeço profundamente ao meu pai, Senhor Rufino, e minha mãe, Senhora Emiliana, pelos princípios morais e pelo exemplo de vida. Quero compartilhar em público da minha admiração por vocês. Vocês foram sempre minha maior riqueza e me permitiram enfrentar com vigor os desafios da vida. Vocês me ensinaram a tecer minha história com ética e respeito.

Hoje, assumindo o desafio de estar na direção desta Unidade do CEFET/SC, comprometo-me a continuar aprendendo a tecer a história junto aos integrantes desta comunidade escolar.

Ao longo do nosso mandato estaremos representando esta comunidade escolar  composta de 78 professores, 73 técnicos-administrativos e cerca de 900 alunos.

Muito obrigado pela atenção.

Prof. Jesué Graciliano da Silva

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s